quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Um muro e agora?

"De facto se vaguearmos um pouco nos nossos pensamentos, por vezes conseguimos alcançar nas coisas simples a descoberta de toda uma realidade que é importante para o sentido da vida e como devemos olhar a vida, na minha opinião.

É mais fácil que nos deixemos cair por terra quando nos aparece um obstáculo do que enfrentá-lo e estarmos dispostos a ultrapassá-lo, não pela esquerda, não pela direita, não por baixo nem tão pouco por cima mas sim de frente. De olhos postos na dificuldade sem deixarmos que essa mesma dificuldade se torne a nossa fraqueza diária, nem o nosso constante problema, mas sim reconhecendo que ela existe, que está presente e que não devemos moldar a nossa vida em função desse obstáculo.
Devemos pois viver a vida sem continuarmos obcecados pelos problemas que nos afligem mas sim empenhados em encontrar as soluções que os resolvem e que nos fazem moldar o obstáculo para podermos passar.

E para isso não deixa de ser também importante sairmos dos nossos anonimatos, individualismos, conformismos e nalguns casos até mesmo fatalismos.

Se pensarmos bem se conseguirmos deixar de lado essas atitudes para pudermos vencer barreiras conforme o que disse anteriomente.

Isso torna-nos mais fortes, mais coesos, melhores enquanto pessoas se soubermos retirar a importância que pressupõe e se respeitarmos no futuro esse passado que fez de nós quem hoje somos.

Conscientes ou não, vamos adquirindo maior maturidade, experiências de vida e perspectivas acerca do que nos rodeia.
É a realidade mundana, complexa e assim também diversa da qual fazemos parte à nascença, à qual nos moldamos naturalmente mas, um dia mais tarde seremos nós por opção que escolhemos querer ou não mudá-la, claro que este mudar seria sempre visando um horizonte que não seja reflexo do presente mas um horizonte de "plasticina" com uma pequena e importante "pedra" no seu interior.

Claro que conseguimos mudar alguns aspectos, princípios e valores da complexidade e realidade mundana e é possível mas, não basta acreditar, passa por lutar, no entanto há sempre algo que não podemos mudar que é essa "pequena e importante pedra", porque essa "pedra" é o "coração" ou base de toda esta realidade e isso não podemos mudar.
Só podemos mudar o exterior dessa pedra mas nunca o interior, porque iríamos colocar em causa a nossa existência e toda a vida humana, todos os valores e princípios, a nossa própria fé, o que nos leva a acreditar e a ter esperança.
Sem esta pedra, não serias a pessoa que és hoje e eu também não, aí está o respeito pelo passado e pela nossa vida, o que seremos amanhã não o saberemos é certo mas penso que podemos ajudar a tornar essa incerteza mais promissora que este presente inseguro, com um passo de cada vez, acredita em ti, eu preciso de ti e certamente que muitas pessoas já se aperceberam que também precisam e muitas vais vão aperceber-se disto.

Não deixes de sonhar, vive o sonho com os pés bem presentes da terra, mas não tenhas receio de saltar para o agarrar se for necessário.
Os sonhos na verdade são como ondas que vão e vêm num ciclo incessável.
O que tu és ninguém te tira mas não te feches e te guardes em ti mesmo(a), luta por algo e por alguém, por uma causa e num percas a pedra que faz de ti o que és.

Haveria muito mais a dizer mas é algo que é para ir discutindo e não para, pura e simplesmente discutir."

de André da Silva Lopes

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo